quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

LIMPANDO MEU ARMÁRIO

Como nos filmes, muitos histórias em quadrinhos escritas pelo genial Giancarlo Berardi também possuem trilha sonora. Na edição 72 da revista “Aventuras de uma Criminóloga”, logo nas primeiras páginas, um assassino cruel canta uma canção antes de dizimar uma família inteira.



A música que inspira o ato do criminoso é um rap intitulado “Cleanin´out my closed”. O trecho cantado pelo assassino é justamente o refrão:
Me perdoe mãe
Eu nunca pretendi te machucar
Eu nunca pretendi te fazer chorar
Mas hoje à noite, eu tô limpando meu armário

Abaixo, um vídeo legendado do rap, interpretado pelo cantor norte-americano Eminem:

video

Tradução completa da canção:

Limpando Meu Armário

Cadê minha batida?
Tô sem batida nos fones de ouvido
Agora sim... yo... yo

Você já foi odiado ou discriminado?
Eu já, eu já fui protestado e demonstrado contra
Cartazes absurdos por causa das minhas letras doidas, olha agora
Nojenta é essa mente, de um moleque filho da puta que esta contra
Todo esse distúrbio, emoções correm como um oceano explodindo
Temperamentos estourando dos pais, apenas mandem eles caírem fora e continuarem
Não agüento nada de ninguém, infernizo eles enquanto estou respirando
Continuo mandando bala de manhã, e pegando nomes à noite
Deixe eles com um gosto amargo de vinagre em suas bocas
Bem eles podem me esculachar, mas eles nunca vão me entender
Olha eu agora, aposto que você tá de saco cheio de mim agora
Não tá mãe? Eu vou te expor como ridícula agora

(Refrão) Me perdoe mãe
Eu nunca pretendi te machucar
Eu nunca pretendi te fazer chorar
Mas hoje à noite, eu tô limpando meu armário
(mais uma vez)
Eu disse me perdoe mãe
Eu nunca pretendi te machucar
Eu nunca pretendi te fazer chorar
Mas hoje à noite, eu tô limpando meu armário

Eu tenho alguns esqueletos no meu armário e eu não sei se alguém sabe
Então antes de me jogarem dentro do meu caixão e fecharem
Eu vou expor isso, vou voltar ao ano '73
Antes de eu ter um CD multi-platina
Eu era um bebê, talvez eu tinha poucos meses
O viado do meu pai deve ter tido tido seu cuzinho apertado várias vezes
Porque ele fugiu, eu imagino se ele me deu um beijo de adeus pelo menos
Não, não imagino, pensando melhor eu quero que que ele morra
Eu olho pra Hailie, e eu não consigo imaginar eu deixando ela
Mesmo que eu odiasse a Kim, eu rangeria meus dentes e tentaria
Fazer dar certo com ela pelo menos pelo amor de Hailie
Talvez eu tenha cometido alguns erros, mas eu sou apenas humano
E sou homem o suficiente para encará-los hoje
O que eu fiz foi estúpido, sem dúvida que foi idiota
Mas a coisa mais esperta que fiz foi tirar as balas daquela arma
Porque eu teria matado ele, porra, eu teria atirado na Kim e nele também
É minha vida, eu gostaria de apresentar pra vocês 'The Eminem Show'

(Refrão) Me Perdoe mãe
Eu nunca pretendi te machucar
Eu nunca pretendi te fazer chorar
Mas hoje à noite, eu tô limpando meu armário
(mais uma vez)
Eu disse me perdoe mãe
Eu nunca pretendi te machucar
Eu nunca pretendi te fazer chorar
Mas hoje à noite, eu tô limpando meu armário

Agora eu nunca zuaria minha própria mãe só pra ganhar reconhecimento
Tenha um segundo pra ouvir e veja quem veste cd está zuado
Mas se ponha no meu lugar, apenas tente imaginar
Sua mãe tomando pílulas na cozinha
reclamando sempre que alguém está mexendo na sua bolsa e coisas estão faltando
Passando pelo sistema público de moradia, vítima da síndrome de Munchausen
Minha vida inteira tive que acreditar que estava doente quando não estava
Até que cresci, agora tô falando tudo, isso te dá dor de barriga
Não dá?
Não foi por isso que você fez aquele CD pra mim, mãe?
Para que você pudesse tentar justificar o jeito que você me tratou, mãe?
Mas adivinha, agora você tá envelhecendo e
É frio quando você tá sozinha e o Nathan está crescendo tão rápido
Ele vai perceber que você é brega
E a Hailie está ficando tão grande agora, você deveria vê-la, ela é maravilhosa
Mas você nunca irá vê-la, ela nem estará presente no seu enterro
Veja, o que me machuca mais é que você não admite que você estava errada
Faça sua música vadia, continue dizendo pra si mesma que você foi uma mãe
Mas como você tem a coragem de tirar o que você não me ajudou conseguir?
Sua vadia egoísta, eu espero que você queime no inferno por essa merda
Lembra quando o Ronnie morreu e você disse que preferiria que fosse eu?
Bom, adivinha? Eu estou morto, muito morto pra você!

(Refrão) Me perdoe mãe
Eu nunca pretendi te machucar
Eu nunca pretendi te fazer chorar
Mas hoje à noite, eu tô limpando meu armário
(mais uma vez)
Eu disse, me perdoe mãe
Eu nunca pretendi te machucar
Eu nunca pretendi te fazer chorar
Mas hoje à noite, eu tô limpando meu armário.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

PÁGINAS ITALIANAS DE JULIA 133

Duas páginas da edição italiana 133 de JULIA. A edição intitulada “Il grande vuoto”. Ou “O grande Vazio” traduzido para a língua portuguesa.
Essa edição conta a história de um assaltante que seqüestra um avião durante uma fuga, após um assalto. Após um ano, Julia investiga o desaparecimento do irmão de Kamilie Hunt, que era o piloto do avião.



Na primeira página, o assaltante e o piloto desaparecido estão no avião. Seqüestro ou cumplicidade?



Na segunda página, Julia Kendall e o detetive particular, e seu grande amigo Leo Baxter, conversam sobre a investigação.

Os desenhos dessa edição foram feitos por dois artistas: Luigi Pitalluga e Federico Antinori.

Capa da edição 133:

domingo, 23 de janeiro de 2011

AVENTURAS DE UMA CRIMINÓLOGA 73

A TEIA SE FECHA

Esta foi a edição 73 da revista "Aventuras de uma Criminóloga", publicada no mês de Dezembro de 2010.



Roteiro: Giancarlo Berardi e Lorenzo Calza
Desenhos: Ernesto Michelazzo
Capa: Marco Soldi

Sinopse:
Não há o que dizer, às vezes a gentileza não compensa! Tomemos o caso da pobre Rachel Chapman, que parou para ajudar um fulano carregado de pacotes e com um braço engessado, no estacionamento subterrâneo de um supermercado, e acabou seus dias nas margens do Rio Marygold, depois de ser horrivelmente torturada.

Talvez seja cedo demais para dizer, mas o modo de execução do homicídio sugere um ritual específico, a ação de um serial killer que escolheu Garden City como seu tenebroso parque de diversões.

Esta é a hipótese de Julia, ainda que o tenente Webb não queira nem ouvir falar, a pouco tempo da eleição para o cargo de procurador...

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

ARTE DE JULIA – POR WANDERLINE FREITAS

O desenhista desta bela arte de Julia é o artista plástico, ilustrador, caricaturista e quadrinista: Wanderleine Freitas.



Os desenhos do Wanderleine são incrives, como este de Audrey Hepburn, desenhado em grafite.



O artista brasileiro possui uma carreira consistente na produção de revistas em quadrinhos. Abaixo podemos ver um mural de imagens de alguns de seus trabalhos:



Para conhecer mais sobre o trabalho e talento desse brilhante artista, acesse seu site, através do endereço abaixo:

http://wanderlinefreitas.blogspot.com

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

JULIA 148 – E TUTTO FINÌ IN CENERE

E TUDO TERMINA EM CINZAS

Na caça de ladrões de urnas funerárias, Julia se encontra em meio a uma sangrenta guerra de gangues!

Esta é a edição n° 148 de JULIA, publicada na Itália neste mês de Janeiro de 2011.



Roteiro: Giancarlo Berardi e Lorenzo Calza
Desenhos: Valerio Piccioni
Capa: Marco Soldi

Sinopse:
Odette, uma amiga de Emily, denuncia à policia o desaparecimento da urna funerária de sua tia Petunia.
Julia, inevitavelmente se envolve no caso, por sua empregada.
Vai em ajuda da velha senhora, logo descobrindo que ela havia colocado seu nariz em um caso perigoso: o roubo de urnas são muitos e apenas uma das conseqüências de uma sangrenta batalha entre gangues pelo controle do mercado de cocaína de Garden City!



quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

DESENHO DE JULIA PARA ROMICS 2010

Arte de Julia, feita pelo desenhista Marco Soldi.



Este belo desenho foi feito exclusivamente para a Romics 2010, feira internacional de quadrinhos, que foi realizada no mês de Outubro do ano passado na Itália.